Idema recomenda que municípios guardem parte do lixo encontrado em praias do RN para auxiliar na investigação da origem do material

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) emitiu nota técnica para orientar os quatro municípios que registraram grande quantidade de lixo no litoral Sul do Rio Grande do Norte nos últimos dias. Pelo menos 3,5 toneladas de resíduos sólidos foram recolhidas em praias de Baía Formosa, Canguaretama, Tibau do Sul e Nísia Floresta.

Entre as recomendações às prefeituras, o Idema pede que uma parte destes resíduos seja armazenada temporariamente para auxiliar nas investigações da origem, ainda desconhecida.

“A gente tem orientado que esse resíduo possa ser armazenado separadamente pelas prefeituras de forma que permita a investigação posterior da origem desse material. Infelizmente, como há muitos voluntários e o pessoal das barracas das praias recolhe, a gente fica sem acesso a esse material e acaba prejudicando as investigações”, declarou Leon Aguiar, diretor do Idema, em entrevista à Inter TV Cabugi.

Sugere também a interdição dos trechos das praias que ainda possuam lixo e que, se possível, faça a colocação de bandeiras vermelhas indicando que o local está imprópria para banho, até a total limpeza da região, “aguardando alguns dias, de modo que se tenha certeza que não estão chegando novas quantidades de resíduos nas praias”. O Núcleo de Monitoramento Ambiental do Idema está acompanhando a situação e vai avaliar as condições de balneabilidade das águas da área afetada.

Na nota técnica, o Idema destaca ainda que a “limpeza das praias deve ser realizada o mais rápido possível para que esse material não volte para o mar, tampouco o material mais pesado fique submerso na areia”.

Recomendações do Idema às prefeituras dos municípios atingidos pelo lixo no litoral Sul do RN

  • Interdição dos trechos das praias que ainda possuam resíduos sólidos;
  • Se possível, colocação de bandeiras vermelhas indicando que a praia está imprópria para banho, até a total limpeza das praias, aguardando alguns dias, de modo que se tenha certeza que não estão chegando novas quantidades de resíduos nas praias;
  • A limpeza das praias deve ser realizada o mais rápido possível para que esse material não volte para o mar, tampouco o material mais pesado fique submerso na areia;
  • E que os resíduos possam ser armazenados temporariamente em algum local reservado no município para auxiliar nas investigações da origem.

O órgão do governo considera que este cuidado necessário, pois “há grande risco de transmissão de doenças com o uso das águas para recreação” ou em contato direto com as areias das praias, e orienta que todos os municípios costeiros se mantenham em alerta para a chegada de quaisquer resíduos ou materiais diferentes nas praias. Foram disponibilizados os contatos da Defesa Civil do Estado (98120-1297) e do próprio instituto (0800-281-1975 e 3232-7004).

O que foi encontrado no lixo no RN?

Em Baía Formosa, foram encontrados seringas, tubos para coleta de sangue, documentos, restos de roupas e sapatos. Em Tibau do Sul, um relatório técnico apontou que entre o lixo estavam fragmentos de madeiras, garrafas pets, recipientes plásticos, isopor, sacos plásticos, máscaras descartáveis e seringas. Em Nísia Floresta, foram encontrados plásticos, restos de embalagens, sapatos, garrafas e também um tubo de coleta de sangue.

Ibama abre investigação

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) abriu uma investigação para apurar o lixo encontrado nas praias do litoral sul do RN. A informação foi confirmada pelo superintendente estadual, Rondinelle Oliveira.

O órgão nacional explicou que essa investigação é um acompanhamento secundário e que a investigação principal, neste momento, está a cargo dos órgãos estaduais. Foi recomendado também a limpeza imediata das praias. O Ibama não deu mais detalhes sobre o tema.